Novo fundo internacional financiará fazendas de ILPF conforme índices certificados de sustentabilidade

30/09/2020

Por Embrapa Agrossilvipastoril

Foto: Divulgação Embrapa Agrossilvipastoril

 

Os agricultores brasileiros, que adotam estratégias de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), terão acesso a linhas de crédito facilitadas de acordo com o nível de sustentabilidade das propriedades rurais. O lançamento do SAFF - Sustainable Agriculture Finance Facility (Financiamento Facilitado para Agricultura Sustentável) ocorreu na terça-feira, 29 de setembro.

O SAFF é o primeiro mecanismo financeiro constituído pela Rede ILPF que visa promover a maior adoção de sistemas ILPF no Brasil. A iniciativa é uma parceria público-privada entre Embrapa, Bradesco, Ceptis, Cocamar, John Deere, Soesp e Syngenta, que formam a Associação Rede ILPF, além do Instituto Brasileiro para o Desenvolvimento e Sustenabilidade (IABS) e JPG Asset Management.

O primeiro critério para acessar o fundo será o monitoramento e a aprovação da propriedade pela sistemática TrustScore. Isto é, apenas as fazendas que alcançam uma pontuação mínima é que poderão obter o financiamento. Depois, quanto maior índice de sustentabilidade no TrustScore, menores serão os juros para fazendas que produzem com estratégias de ILPF.

A tecnologia TrustScore é brasileira, inovadora e foi desenvolvida pela Ceptis Agro para medir a sustentabilidade das fazendas produtoras. O SAFF disponibilizará cerca de US$ 68 milhões no primeiro ano, sendo US$ 62 milhões em crédito para o produtor e US$ 6 milhões para financiamento de programas de certificação, pesquisa, transferência de tecnologia assistência técnica e certificação. O incremento ao fundo acontecerá progressivamente, ano a ano, podendo chegar a US$ 1,4 bilhão em 2026.

O SAFF foi um dos projetos selecionados em 2020 pela Global Innovation Lab for Climate Finance (Lab), um programa de aceleração de opções de investimento que mobilizem recursos para o desenvolvimento sustentável em mercados emergentes. O objetivo é ampliar a adoção da ILPF no Brasil por meio de uma combinação de linhas de crédito acessíveis, certificação e assistência técnica especializada.

O projeto-piloto será implantado até julho de 2021 e vai abranger propriedades de sete estados brasileiros: Paraná, São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, totalizando 90 mil hectares.

“Hoje, o Brasil possui 16 milhões de hectares com sistemas ILPF e a nossa meta é chegar a 30 milhões até 2030. O SAFF, sem dúvidas, será uma ferramenta importante para conseguimos sucesso nesse objetivo”, explica o pesquisador da Embrapa e presidente do Conselho Gestor da Rede ILPF, Renato Rodrigues.

A ILPF é uma estratégia que combina diferentes culturas em uma mesma área de produção, o que resulta em benefícios diretos para o produtor e para o meio ambiente, como a redução da emissão de gases de efeito estufa, o uso eficiente do solo e insumos, a restauração de pastagens degradadas e preservação da biodiversidade. José Pugas, sócio da Ceptis Agro, avalia que a criação do SAFF vai estimular os produtores que querem fazer a integração em suas fazendas.

“O SAFF busca facilitar o acesso a crédito e disponibiliza outros benefícios para o produtor, fazendo com que ele consiga melhorar cada vez mais a sustentabilidade da sua produção, em menos tempo”, disse.

Para verificar o cumprimento dos critérios de sustentabilidade das propriedades, Rede ILPF, por meio da Ceptis Agro, que é uma de suas associadas, usará o TrustScore como a tecnologia que será utilizada para medir e monitorar a conformidade das fazendas. O TrustScore é uma ferramenta de MRV (Monitoring, Reporting and Verification) para finanças verdes no agronegócio. O sistema é inovador e o único capaz de verificar e acompanhar, em tempo real, mais de 120 critérios ambientais, econômicos e sociais das propriedades.

“Na prática, quanto maior foi a adesão do produtor aos indicadores de sustentabilidade verificados pelo TrustScore, melhores serão as condições para empréstimo e financiamento do SAFF”, explica Pugas.

Futuramente, os agricultores que utilizam a ILPF poderão pagar parte de seus empréstimos por meio da emissão de créditos de carbono, que serão avaliados e comercializados pelo SAFF ou absorvidos pelos investidores finais.

"O SAFF vai além de uma modalidade de financiamento, é principalmente uma forma de estimular a prática da agricultura sustentável por meio das condições facilitadas ao crédito, exclusivamente para os produtores que são verdadeiramente comprometidos com uma produção de impacto mínimo ao meio ambiente", explica Pugas.

De acordo com estudos realizados para a criação do fundo, a implementação pode mitigar a emissão de 2,5 milhões de toneladas de gás carbônico em 10 anos.

 

Lab – Global Innovation Lab for Climate Finance

A criação do SAFF foi endossada pelo Lab, uma iniciativa que reúne mais de 60 investidores públicos e privados que identifica, desenvolve e lança instrumentos financeiros inovadores que podem atrair bilhões para o enfrentamento das mudanças climáticas e o desenvolvimento sustentável. Desde 2014, o Lab lançou 49 instrumentos que mobilizaram em conjunto mais de US$ 2 bilhões. O gerenciamento do Lab é feito pelo Climate Policy Initiative, uma organização de análise e consultoria que reúne mais de 90 pesquisadores e tem como missão ajudar governos, empresas e instituições financeiras a impulsionar o crescimento econômico enquanto enfrentam as mudanças climáticas.

 

ILPF

A integração lavoura-pecuária-floresta é uma tecnologia brasileira, desenvolvida e aprimorada pela Embrapa e universidades. Adaptável a qualquer realidade no campo, pode ser utilizada combinando lavoura e pecuária, pecuária e floresta, lavoura e floresta, ou ainda os três componentes juntos.

A Embrapa desenvolve pesquisas e atividades de transferência de tecnologia sobre sistemas ILPF em todas as regiões do país. Saiba mais sobre essa tecnologia em https://www.redeilpf.org.br/.