Conservação de solo e sistema de irrigação mudam vida de família no RS

Emater/RS-Ascar 23/11/2018

Produtividade, hoje, alcança 17,5 arrobas por mil pés de fumo

Carine Massierer, Emater/RS-Ascar

Foto: Emater/RS-Ascar

Mais de 400 agricultores, de 11 municípios da região, participaram do Dia de Campo de Agricultura Conservacionista. O evento aconteceu nesta quarta-feira (21/11), em Sertão Santana. O agricultor Samir Melatti, a esposa Vanessa e as filhas Larissa e Kauani receberam os visitantes na propriedade de seis hectares, que fica na localidade de Emboada e que foi adquirida pela família há quatro anos.

Melatti conta que a terra estava abandonada e improdutiva e que começou plantando tabaco com uma produtividade de 11 arrobas a cada mil pés de fumo. Com o auxílio da empresa fumageira Souza Cruz e do chefe do escritório da Emater/RS-Ascar de Sertão Santana, Clair Júnior Schaffer, adotou o sistema de irrigação por gotejamento com fertirrigação, implantou adubação orgânica e conservação do solo. Com isto a produtividade, hoje, alcança 17,5 arrobas por mil pés de fumo.

Além disto, a família Melatti utiliza outros cinco hectares, onde está localizada a casa, sua horta, as pequenas criações para subsistência e possuem um pequeno aviário com criação de frango colonial, que gera um comércio de mais de mil unidades ao ano e que já representa 20% da receita da propriedade.

A diversificação das atividades na propriedade ocorreu em função do produtor buscar alternativas para maior segurança e bem estar da família. Com apoio da assistência técnica, buscou informações e se capacitou com a realização de diversos cursos o que o ajudou na tomada de decisão.

Não ficar dependente de uma só atividade e escolher outras que melhor se adequassem ao mercado e aos fatores de produção existentes foi o que ele fez e que outros produtores deveriam adotar para melhor gerenciarem e terem resultados satisfatórios com suas propriedades, explicou o engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Márcio Miranda Dalbem, durante o dia de campo. A família Melatti é atendida pela Emater/RS-Ascar , participou da Chamada Pública de Diversificação do Tabaco e, atualmente, integra o Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar (PGSAF).

Em uma segunda estação, as agrônomas da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi), Maria Luiza Conti e Rita Antochevis, explicaram os cuidados que os agricultores devem ter ao guardar e descartar os agrotóxicos, bem como a forma adequada de se instalar um depósito na propriedade.

Na terceira estação, o engenheiro agrícola da Emater/RS-Ascar, Danilo Leal, apresentou um módulo onde as pessoas conseguiam ver como funciona o sistema de irrigação por gotejamento que está instalado na propriedade e que foi implantado pelo Programa Mais Água, Mais Renda, do governo do Estado. Destacou ainda os benefícios ao produtor e como podem fazer para acessar. No mesmo espaço os integrantes da Souza Cruz, Cleiton Bariviera, Elton Guske, Daniel Salati e Sandro Dostatni falaram dos experimentos que estão sendo feitos com a lavoura de fumo dos Melatti onde estão sendo testadas oito diferentes formas fertirrigação.

Continuando a caminhada pela propriedade, os participantes se deslocaram até uma quarta estação que ficava próximo a uma mata nativa. No local, os integrantes do departamento de licenciamento ambiental da Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema), Diego Melo Pereira e Cassiano Kern Copetti, falaram da obrigatoriedade do cadastro ambiental rural (CAR), da importância de se ter uma reserva legal na propriedade e o quanto há de riqueza nestas áreas, da certificação agroflorestal, entre outros assuntos.

Na quinta estação o agrônomo da Emater/RS-Ascar, Marcelo Biassusi, e o técnico agrícola da Souza Cruz, Gracioso Marcon, comentaram as práticas de conservação de solo que foram adotadas pelos Melatti como terraceamento, plantio em nível, utilização de plantas de cobertura e formadoras de palhada e plantio na palha, que hoje são responsáveis por sensível melhora na estrutura e fertilidade do solo. Já na última estação foi apresentado o Projeto Colmeia Viva e a Associação Brasileira de Estudos das Abelhas, por Daniel Spanholeto e Katia Aleixo.

Esta propriedade é uma das unidades de referência da Assistência Técnica e Extensão Rural e Social para a agricultura familiar, razão pela qual foi palco deste Dia de Campo.

O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar, Sociedade de Agronomia do Rio Grande do Sul (SARGS) e as secretarias de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), de Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi), do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e da Educação.