Entidade de Utilidade Pública Federal desde 1998
FEBRAPDP SISTEMA PLANTIO DIRETO IRRIGAÇÃO PROJETOS PUBLICAÇÕES ENPDP PARTICIPE
Português / English
Newsletter




Pesquisa avalia se monitoramento da água pode servir como ferramenta para pagamento por serviços ambientais

 


Estudo avaliou parâmetros como: vazão, temperatura, pH, condutividade elétrica, oxigênio dissolvido, carbono, nitrogênio e íons maiores dissolvidos


Por Cristina Tordin, Embrapa Meio Ambiente




Bacia Ribeirão das Posses, MG - Foto: Thomas Martin/Embrapa




O trabalho Monitoramento da qualidade de água como uma ferramenta para avaliar um programa de pagamento por serviços ambientais (PSA) em Extrema (MG), de Ricardo Figueiredo, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP), Matheus Simioli, Patrícia Cruz e Timothy Green, será apresentado na Conferência Regional América Latina e Caribe da Ecosystem Services Partnership (LAC ESP 2018), de 22 a 26 de outubro, no Centro de Convenções da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).


Conforme Figueiredo, "as pequenas bacias estudadas do Ribeirão das Posses e do Ribeirão Salto de Cima, são afluentes do Rio Jaguari, e contribuem para o Sistema Cantareira, responsável por suprir parte substancial da demanda hídrica da área metropolitana de São Paulo. Essa ferramenta avalia o benefício potencial na qualidade da água fluvial resultante da implantação do Programa de PSA", diz.


Essas bacias são ocupadas principalmente por pastagens e atualmente são objetos de um programa de pagamento por serviços ambientais, concebido para solucionar problemas de deficit hídrico na região. Os possíveis benefícios desse programa para a qualidade dos recursos hídricos é o que estamos analisando, explica o pesquisador.


A pesquisa inclui avaliações na variação temporal de parâmetros de qualidade de água, assim como a comparação entre os dois ribeirões em relação a tais variáveis, uma vez que encontram-se em estágios diferentes no processo de recuperação ambiental. Campanhas de campo foram realizadas ao longo de 2017 a cada duas semanas, para coleta de amostras in situ, assim como para acessar dados de parâmetros físico-químicos obtidos a cada 10 minutos entre as campanhas e também amostras coletadas a cada 72 horas, utilizando-se um amostrador automático munido de sonda multiparâmetros. Além disso, foram também realizadas coletas automáticas de amostras de águas fluviais durante a ocorrência de eventos de chuva intensa.


Foram monitorados os seguintes parâmetros: vazão, temperatura, pH, condutividade elétrica, oxigênio dissolvido, carbono, nitrogênio e íons maiores dissolvidos assim como a concentração de sedimentos em suspensão. "Alguns sinais de poluição pontual foram detectados no Posses", ressalta Figueiredo.


Apesar da melhoria da qualidade da água ter sido confirmada em resposta à recuperação da floresta ripária e de topo de morro, foi observado que práticas de manejo relacionadas a efluentes antropogênicos – causadas pela ação do homem, contrapondo-se às ações de recuperação ambiental realizadas, devem ser consideradas nas políticas públicas ali adotadas. Adicionalmente, recomenda-se que o monitoramento das águas fluviais seja adotado com a utilização de equipamento que realize medidas contínuas ao longo dos dias, de maneira que possa detectar a presença de fontes poluidoras pontuais.


Sobre a conferência LAC ESP 2018


O evento é promovido pela Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES), em conjunto com o Ecosystem Services Partnership (ESP), com o apoio da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS), da Embrapa e da Applied Biodiversity Foundation, com o objetivo de promover a discussão sobre o que os países da América Latina estão fazendo para o cumprimento de acordos ambientais internacionais, como a Convenção da Diversidade Biológica (Metas de Aichi) e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, na perspectiva dos Serviços Ecossistêmicos. Tem como público-alvo profissionais, estudantes e tomadores de decisão da área.

Embrapa Meio Ambiente - 11/10/2018 - 10:50:19


Imprimir Fazer PDF Compartilhar por E-mail
474 notícias encontrados. 48 páginas. Mostrando página 1
Buscar em NOTÍCIAS:
SEDE
Avenida Presidente Tancredo Neves, N° 6731
Parque Tecnológico de Itaipu
Edifício das águas 2° Andar sala 201.
CEP: 85867-900
Foz do Iguaçu - Paraná - Brasil.
+55 45 3529-2092
febrapdp@febrapdp.org.br
FEBRAPDP - Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação
Filiada à CAAPAS
Confederação das Associações Americanas para uma Agricultura Sustentável


Correspondência
Caixa postal: AC PTI 2140
CEP: 85867-970
Foz do Iguaçu - Paraná - Brasil.