SPD é destaque no Dia Nacional da Conservação do Solo

Da Redação FEBRAPDP 06/04/2018

Mapa e FEBRAPDP promovem seminário em Brasília

Da Redação FEBRAPDP

O Seminário Comemorativo ao Dia Nacional da Conservação do Solo vai acontecer na próxima quinta-feira, dia 12 de abril de 2018, às 8 horas da manhã, no Auditório “Joaquim Ferraz Sampaio” do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), situado no Eixo Monumental Sul, Via S1 - Setor Sudoeste - Brasília (DF). Com o tema "Conservação de solo: Sustentabilidade na produção de alimentos e na segurança hídrica” o evento é uma iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação (FEBRAPDP).

Inovações tecnológicas, pesquisas e resultados sobre a temática central estarão em pauta ao longo de dez palestras multidisciplinares até o fim da tarde. Terceiro palestrante do dia, Jonadan Ma, diretor do Grupo Ma Shou Tao e presidente da FEBRAPDP, abordará a situação atual e a relevância do Plantio Direto para a agricultura brasileira com foco na conservação do solo.

“Temos o objetivo de alcançar produtores rurais, técnicos e pesquisadores, mas também é muito importante mostrarmos a relevância da agricultura conservacionista, dos sistemas de conservação mais produtivos junto aos profissionais, lideranças políticas e gestores públicos locais. Nossa expectativa é que esse trabalho possa crescer e ter mais apoio do governo federal e das instituições públicas com mais crédito disponível e maior apoio tecnológico para investimentos no segmento. Hoje já temos uma câmara setorial para agricultura conservacionista no Ministério da Agricultura, que é presidida pelo professor Ricardo Ralisch e mostra a importância do setor junto ao Governo Federal”, conta.

Jonadan sublinha ainda a necessidade de reiterar aos participantes, a importância da introdução do SPD no Brasil desde 1972. Ele afirma que em 46 anos de história, a técnica tornou o Brasil uma grande potência produtora de alimentos. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do total de 47.6 milhões de hectares cultivados no país, quase 33 milhões de hectares estão em PD.

Ma reconhece, no entanto, que atualmente o grande desafio para o SPD ainda é melhorar a qualidade técnica empregada nas lavouras nacionais. De acordo com ele, a solução é investir na conscientização e reeducação dos produtores acerca das necessidades do sistema integrado que compreende aspectos químicos, físicos e biológicos. De acordo com ele o Sistema Plantio Direto é um conceito, um estilo de vida.

“O PD não é semeadura direta ou cultivo mínimo. O SPD exige também rotação de culturas, plantas de cobertura, máxima palhada, reciclagem de nutrientes e aumento da biologia do solo. Não é meramente aplicar produtos ou dessecar uma cultura e usar uma máquina moderna, mas é trazer uma fertilidade que significa a capacidade de multiplicação da vida no solo, por meio de várias culturas onde a vida possa se desenvolver e ser conservada no solo para o aumento da produtividade. O SPD é a harmonização de todos os sistemas para que a produção esteja equilibrada com o solo, a natureza e o ambiente como um todo”, explica.

Outro ponto destacado pelo presidente é a importância da difusão do Índice de Qualidade Participativo do Plantio Direto (IQP) junto aos agricultores. A ferramenta online, desenvolvida por profissionais da FEBRAPDP, qualifica o SPD por meio de um questionário de identificação dos principais aspectos de manejo na condução das lavouras. O objetivo é utilizar o mapeamento interativo das informações para nortear melhorias, aumentar a produção e reduzir impactos ambientais. Multiplicada por meio de células em várias regiões do país, as capacitações começaram pelo Paraná, seguindo para o Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e São Paulo, com o objetivo de chegar a Minas Gerais, Mato Grosso e Bahia.