Começa Rally da Safra 2018 com apoio da Fundação Agrisus

26/01/2018

“Todos os anos temos observado melhoria na qualidade da palhada e esperamos nova melhora em 2018”

 

Por Fundação Agrisus

A expectativa é que sejam avaliadas cerca de 1.500 lavouras. De acordo com o coordenador do projeto, André Souto Maior Pessôa, sócio diretor da Agroconsult, organizadora do Rally, em relação ao plantio direto são esperados aumentos modestos da área coberta por plantio direto no Nordeste e manutenção nas demais regiões.

"O Plantio Direto é uma prática consagrada mas sempre pode ser melhorada”, afirma Pessoa. “Todos os anos temos observado melhoria na qualidade da palhada e esperamos nova melhora em 2018. No Sul, a frustração da última safra de trigo pode reduzir a área dessa cultura esse ano. É preciso estar atento para substituir o trigo por outra cultura de cobertura para preservar a qualidade do Plantio Direto nessas áreas”.

Em entrevista coletiva em 11/01, em São Paulo, o coordenador explicou que nesta 15ª edição do Rally serão visitados 500 municípios nos 13 principais estados produtores que correspondem a 95% da área de soja e 72% da área de milho: Mato Grosso, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia, Maranhão, Piauí e Tocantins. Os técnicos avaliarão também as condições das lavouras, população de plantas, peso médio de grãos, incidência de pragas, doenças e ervas daninhas, características físicas e nutricionais da soja, cobertura do solo, levantamento da participação de transgênicos, entre outros aspectos.

As equipes começaram a sair a campo em 15/01. A expectativa é que a área total de soja alcance 35 milhões de hectares, com estimativa pré-Rally de produzir 114,1 milhões de toneladas, volume semelhante à safra passada. “O aumento de área de soja deverá ocorrer preponderantemente sobre lavouras de milho, em razão da redução expressiva na rentabilidade do grão. Serão cerca de 800 mil hectares provenientes de áreas maduras localizadas no Sul – com alto potencial de produção de soja – e no Sudeste do Brasil, onde o milho verão tem maior presença. De forma secundária, teremos ainda a contribuição de áreas de pastagem e de cerrado para esse crescimento”, explica Pessoa.

A produtividade de soja, embora 3,5% inferior à safra passada, poderá ser a segunda maior da história, atingindo 54 sacas por hectare. Em 2016/17, a produtividade foi de 56 sacas por hectare. De acordo com o coordenador do Rally, a principal preocupação agora é a previsão de chuvas intensas daqui para frente.

Já o milho segunda safra deverá alcançar uma produção de 65,6 milhões de toneladas, com queda de 4% sobre a safra passada (68,3 milhões de toneladas). “O calendário ideal de plantio para milho de alta produtividade é até 20 de fevereiro. Após essa data, teremos uma queda no nível da tecnologia e, possivelmente, nas produtividades”, avalia Pessoa.

Segundo projeções da Agroconsult, embora a safra de soja seja semelhante à passada, a safra total de grãos deverá diminuir, por conta da possível redução na produção de milho. Com isso, a safra de grãos deverá atingir 231 milhões de toneladas, contra 241 milhões de toneladas em 2016/17.

A expedição fará dez eventos regionais – com objetivo de divulgar dados da safra e apresentar cenários de mercado - e 30 cafés com produtores - para levantar expectativas sobre a safra da região e debater temas importantes para o setor. Para acompanhar o trabalho das equipes e o roteiro completo da expedição clique aqui. http://rallydasafra.com.br/