Emater PR apresenta solução técnica para melhorar qualidade do plantio direto

28/09/2017


Braquiária cobre todo o solo produzindo, em média, 1,5 tonelada de matéria seca por hectare

 

Por Emater PR

 

 

Em todo o Estado do Paraná, a Emater trabalha para orientar o agricultor a melhorar a qualidade do Sistema Plantio Direto, tecnologia que dispensa o revolvimento do solo para o plantio e pode contribuir para o aumento da produção e melhoria da conservação do solo e da água. 

Segundo órgãos de pesquisa, a eficácia da tecnologia do plantio direto para o incremento da produtividade e conservação do solo depende de uma boa cobertura do terreno cultivado com restos culturais. No modelo sequencial e tradicional de cultivo de soja em substituição ao trigo ou milho isso não acontece de forma satisfatória. A solução que a Emater está levando aos produtores para resolver o problema é o plantio consorciado (feito ao mesmo tempo) numa mesma área de milho safrinha com o capim braquiária. 

Após a colheita do milho safrinha, a braquiária cresce e cobre todo o solo produzindo em média 1,5 tonelada de matéria seca por hectare. Essa cobertura ajuda a reter melhor a água da chuva, evitando escorrimento e erosão. O sistema radicular do capim dessecado contribui, ainda, para tornar o terreno mais poroso facilitando também o desenvolvimento das raízes da soja que cresce em seguida sobre a área. Até em períodos de estiagem, a cultura implantada sobre esse terreno que recebeu o consórcio de milho safrinha e capim braquiária suporta bem mais o estresse hídrico. 

Na região de Londrina, com o apoio dos programas Prosolo e Microbacias e campanha Plante seu Futuro, do Governo do Estado, a Emater realizou, de 12 a 22 de setembro, cinco tardes de campo para apresentar aos sojicultores os benefícios da proposta. Os encontros técnicos aconteceram em propriedade de agricultores que já usam a braquiária para melhorar a cobertura do solo e dar mais qualidade à tecnologia do plantio direto nos municípios de Londrina, Cambé, Cafeara, Primeiro de Maio e Alvorada do Sul. Pesquisadores do Iapar e da Embrapa colaboraram com a apresentação de palestras sobre o assunto.