Homenagem: Manoel Henrique Pereira (Nonô Pereira)

09/09/2015

Por Antonio Roque Dechen, Presidente do Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS), Professor Titular do Departamento de Ciência do Solo da ESALQ/USP, Presidente da Fundação Agrisus e Membro do Conselho do Agronegócio (COSAG-FIESP). 

Faleceu em 8 de setembro de 2015, em Ponta Grossa (PR), Nonô Pereira, que junto com Herbert Bartyz e Frank Dijkstra, foi responsável pela implantação e difusão do sistema de plantio direto na palha, no Paraná e depois difundido para as regiões agrícolas do Brasil. 

O plantio direto é uma técnica que conserva o solo, pois os agricultores não precisam arar e gradear o solo antes da realização do plantio. A palha que fica no solo transforma-se em matéria orgânica, aumenta a fertilidade e conserva a umidade do solo. Hoje o plantio direto abrange mais de 30 milhões de hectares no Brasil.

Nonô Pereira foi três vezes presidente da Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação e, atualmente, era Diretor Honorário Fundador, ao lado de Herbert Bartz e Frank Dijkstra.

Durante homenagem recebida da Itaipu Binacional, os pioneiros do plantio direto, entre eles Nonô Pereira, frisaram que a única certeza que os produtores tinham quatro décadas atrás, para evitar o avanço da erosão e a perda de produtividade, era a de que algo tinha que ser mudado na agricultura tradicional: "do jeito que era, estávamos com os dias contados, porque o solo é o nosso maior patrimônio e temos de conservá-lo".

Os pioneiros do plantio direto pregavam a sustentabilidade do sistema produtivo brasileiro e foram também inspiradores do Dr. Fernando Penteado Cardoso na criação da Fundação Agrisus (Agricultura Sustentável).

Nonô Pereira finaliza suas grandes realizações em prol da Agricultura Brasileira com Sustentabilidade. Trabalhou arduamente na conservação de nosso patrimônio maior, nosso solo, deixando-nos o exemplo de dedicação, competência e responsabilidade. Uma perda incomensurável, com realizações que marcaram o novo cenário da Agricultura Brasileira com Sustentabilidade.

Sobre o CCAS

O Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS) é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça. Mais informações no website: http://agriculturasustentavel.org.br/. Acompanhe também o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel