Emater/RS-Ascar orienta produtores sobre controle da buva

09/11/2021

Por Carina Venzo Cavalheiro, Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar

Agricultores do município de Espumoso têm observado a incidência da buva nas lavouras. A planta invasora (daninha) pode ser um problema em culturas como o trigo, milho e principalmente na soja. "Na lavoura é sempre sinal de alerta", observa a extensionista rural agropecuária da Emater/RS-Ascar Francieli Nava. Na soja, uma planta de buva por metro quadrado pode causar perdas de até 14% na produtividade.

 

Segundo a extensionista, uma única planta pode produzir mais de 100 mil sementes, com dispersão pelo vento em torno de 100 metros da planta mãe. "Essa é a distância média, mas em alguns casos as sementes podem se dispersar até 500 metros da planta mãe". Na soja, cultura em início da fase de implantação de acordo com o zoneamento agrícola, a buva deixa os agricultores atentos. "Seu controle é dificultado devido à elevada produção de sementes e aos casos de resistência a herbicidas", observa Francieli.

 

Uma orientação importante é o agricultor realizar um bom manejo das lavouras ainda no inverno. A rotação de culturas com o trigo, por exemplo, é uma boa alternativa, pois as moléculas de herbicidas usadas nessa cultura possuem um bom controle da planta daninha.

 

Para o controle da buva existem algumas opções de herbicidas que podem ser utilizadas pelos produtores. O ideal é que o manejo dessa planta invasora seja realizado quando ela ainda é pequena, sendo importante que se faça o seu controle antes da implantação da cultura da soja com herbicidas que tenham um bom controle de buvas germinadas, mas também um bom controle das sementes desta invasora com os produtos recomendados. "Mas a quantia depende de cada lavoura. Por isso, sempre é importante o agricultor consultar um técnico para ter um resultado mais efetivo e o uso adequado dos produtos", conclui a extensionista.

 

Boas projeções para a soja na região

 

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Soledade é estimado o cultivo de 466.480 hectares de soja. As condições climáticas estão adequadas para a cultura tanto na semeadura quanto no desenvolvimento vegetativo inicial, com bom teor de umidade do solo proporcionado por chuvas regulares nas últimas semanas, radiação solar e temperatura. Com isso, a semeadura da soja se intensifica.

 

Atualmente, é estimado que foi semeado 20% em relação à área total de cultivo na região. As primeiras áreas implantadas apresentam boa germinação/emergência e ótimo estande de plantas. A maior parte das áreas está preparada aguardando a semeadura. Muitas lavouras de trigo foram dessecadas para acelerar a maturação e ao mesmo tempo dessecar plantas invasoras, preparando a área para a semeadura da soja.