Mix de forrageiras para cobertura de solo é tema de Encontro Técnico no RS

02/09/2021

Por Tiago Bald, da Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar - Regional de Lajeado

Foto: Divulgação Emater/RS-Ascar

A Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Governo do Estado, realizou na terça-feira (31/08) um Encontro Técnico com o objetivo de divulgar alternativas de cobertura do solo para o inverno. A atividade ocorreu na propriedade do agricultor José Wolf, do Morro Gaúcho, e contou com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), da Cooperativa Cooperagri e da Empresa Raix Sementes.

 

Voltado à agricultores, técnicos e representantes de entidades, o encontro contou com a presença de um número pequeno de pessoas, como forma de reduzir as aglomerações e manter o distanciamento social em meio à pandemia de Covid-19. Na ocasião, após a abertura feita pelo técnico da Emater/RS-Ascar Gelcy Baumgarten, a extensionista Marcia Ruff abordou os benefícios da utilização do mix de forrageiras no curto, médio e longo prazos, como forma de garantir a proteção do solo.

 

De acordo com Márcia, no curto prazo essa combinação proporciona proteção do solo contra os impactos da chuva, evita erosão laminar, aumenta a sua atividade biológica e ainda faz uma ciclagem de nutrientes do cultivo anterior, reduzindo a utilização de produtos químicos. No médio prazo o mix melhora as propriedades físicas do solo, ampliando a porosidade e a disponibilidade de nutrientes. "Já no longo prazo há um aumento da fertilidade e uma redução da compactação, principalmente nas camadas mais superficiais", comenta.

 

Durante a atividade o técnico da Cooperagri Gerson Muller explicou os principais manejos realizados na cultura para a obtenção de uma boa cobertura de solo, com vistas a garantir os benefícios do mix para a cultura posterior. Ele lembrou que o plantio deve ser realizado observando a disponibilidade da área da implantação da cultura comercial. Na propriedade de Wolf foi adotado o mix Raix 110, que consiste na mistura de sementes de aveia, centeio e nabo forrageiro e possui um ciclo de 50 a 90 dias para seu manejo.

 

O gerente regional da Emater/RS-Ascar Marcelo Brandoli destacou a importância do mix para a manutenção do equilíbrio biológico do solo e a capacidade de retenção de água, o que evita perda de umidade. "Nesse sentido, estudos indicam que um solo descoberto, no verão e após cinco dias sem chuva, já faz com que a cultura comece a sentir os efeitos da falta de água", avalia, reafirmando que o solo coberto pode estender esse período por até 20 dias.

 

Para Brandoli eventos desse tipo reforçam o papel da Emater/RS-Ascar na promoção do desenvolvimento regional sustentável, agregando conhecimento e apresentando novas tecnologias de baixo custo para os produtores - o que contribui para a preservação do solo e a manutenção dos recursos hídricos. "Esse é o tipo de prática altamente promissora que resulta em bons resultados em termos de produtividade", pondera.

 

De forma complementar, Muller lembrou o alto potencial de controle de plantas infestantes, proporcionado pelo mix de forrageiras - o que ocorre graças a liberação de substâncias que impedem o desenvolvimento de plantas daninhas. "Efeito que permanece mesmo após os casos de dessecação, devido à alta durabilidade da palhada sobre o solo", pontua. "Outro destaque é o aumento da fertilidade, com os microrganismos benéficos ampliando o desenvolvimento das plantas cultivadas na palhada", lembra Márcia.

 

O evento contou ainda com a presença de lideranças como o vice-prefeito Bruno Junges, que destacou o trabalho em parceria com a Emater/RS-Ascar, agradecendo o público presente e colocando a Administração Municipal à disposição dos produtores para apoia-los neste projeto. Já a fala do secretário de Agricultura e Meio Ambiente Luiz Carlos Weber foi no mesmo sentido, reforçando a importância das trocas de experiências e da aquisição de conhecimentos como forma de agregar renda e desenvolvimento.