Live sobre Azevém BRS Integração mostra seu diferencial para sistemas de ILP

29/07/2021

Por Cristiane Betemps, Embrapa Clima Temperado

Foto: Divulgação Embrapa

 

No próximo dia 30 de julho, a Embrapa Clima Temperado promove a live Azevém BRS Integração - A opção ideal para ILP? O evento acontece das 14h às 16h pelo canal da Embrapa no YouTube. O Azevém BRS Integração é uma alternativa de pastagens de inverno, de ciclo mais curto, com alta produtividade de forragem, adaptada ao sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP),, destacando a sua possibilidade de entrar em rotações com culturas de grãos, como o arroz, a soja e o milho.

 

A cultivar BRS Integração é um material lançado em 2017, e segundo, a pesquisadora Andréa Mittelmann, uma das painelistas da atividade, é uma cultivar de alta produtividade e maior tolerância às doenças. Além disso, também apresenta menor custo de sementes em comparação aos tetraplóides. O material produz 5% mais, com 20 dias a menos de ciclo, em comparação à BRS Ponteio, uma das cultivares mais adotadas pelos produtores. Mas, conforme ela, a precocidade da BRS Integração possibilita um bom aproveitamento da forragem antes do estabelecimento de culturas de verão, o que indica sua vocação para o sistema de ILP. O mês de outubro é indicado para produção de sementes.

 

A pesquisadora irá apresentar na live como a cultivar foi desenvolvida e quais as suas características que a diferenciam de outras cultivares de azevém.

 

A agenda abordará também as recomendações de manejo com a cultivar e resultados obtidos, tanto em estudos desenvolvidos pela Universidade quanto no estado do Paraná.

 

O professor da UFPel Carlos Eduardo Pedroso é um dos painelistas que vai contar como tem sido o estudo com a cultivar, especialmente quanto ao manejo de desfolha da BRS Integração. Ele explica que esta nova cultivar apresenta uma taxa de perfilhamento superior a BRS Ponteio. “Em resposta ao maior perfilhamento inicial, a BRS Integração se estabelece um pouco antes comparado ao Ponteio, aproximadamente uma semana”, destaca.

 

O professor diz que a nova cultivar apresenta elevada taxa de surgimento de folhas, de expansão de folhas, mas também apresenta alta taxa de expansão do colmo. “Para que seja aproveitada esta alta produção de folhas vivas com mínimo alongamento dos entrenós, as desfolhas precisam ser mais frequentes, em comparação às outras cultivares”, explica.

 

O terceiro painelista do evento será o pesquisador e coordenador do Setor de Forragens e Grãos da Fundação ABC, Richard Paglia de Mello, que irá falar sobre a adaptação da cultivar ao Paraná. “Realizamos ensaios com esta cultivar desde 2013, e por suas características agronômicas, adaptação e composição bromatológica, contamos com essa cultivar em nossas sugestões para a assistência técnica e aos cooperados das Cooperativas de leite Capal, Frísia e Castrolanda, todas atuando no Paraná”, comentou. Para ele, o azevém é uma excelente fonte proteica para o inverno, sendo estratégica para os pecuaristas ao alavancar a produção leiteira na região Sul do país.

 

Para assistir, acesse o link: https://www.youtube.com/watch?v=Y_KAgQXKOj8