Novo bioinseticida à base de duas bactérias Bt está disponível para agricultores

19/02/2021

Por Sandra Brito, Embrapa Milho e Sorgo

Bacillus thuringiensis (Bt) é uma bactéria que produz proteínas com propriedades tóxicas específicas para insetos e que são inofensivas para humanos e outros vertebrados - Foto: Frederick Agruiar/Embrapa

O lançamento do bioinseticida Acera aconteceu na noite de 9 de fevereiro. Composto por uma mistura inédita de dois isolados da bactéria Bacillus thuringiensis (Bt), é o mais novo bioproduto indicado para controlar a lagarta-do-cartucho, Spodoptera frugiperda, e a lagarta-falsa-medideira, Chrysodeixis includens.

 

O Acera - nome comercial - foi desenvolvido com tecnologia Embrapa e concebido em parceria com a Ballagro Agro Tecnologia, empresa que comercializará o produto. O evento foi transmitido pelos canais da Embrapa e da Ballagro no YouTube.

 

Segundo o pesquisador da Embrapa Fernando Hercos Valicente , desenvolvedor e responsável pela tecnologia na Empresa, “a grande vantagem desse produto biológico à base de Bt é que ele não afeta o meio ambiente, não intoxica aplicadores, não mata os inimigos naturais das pragas e não polui rios e nascentes, contribuindo para a sustentabilidade”.

 

“O Acera foi registrado para o controle dessas duas espécies de lagarta e poderá ser usado em culturas como soja, milho, algodão e diversas outras. Os dois isolados de Bt usados como matéria-prima do bioproduto vieram da coleção da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas, MG)”, informou o pesquisador. Para assistir ao vídeo de apresentação do Acera, clique aqui.

 

Posicionamento correto para aplicação do produto

 

“Para que o bioinseticida tenha eficácia são necessários um posicionamento correto e uma observação criteriosa do agricultor”, explicou o pesquisador Fernando Valicente. Ele recomendou a leitura do Comunicado Técnico 248 “Posicionamento e tecnologia de aplicação de inseticidas biológicos”, de sua autoria. O documento está disponível na Biblioteca da Embrapa.

 

Valicente ressaltou que os produtos à base de Bt têm uma melhor ação quando as lagartas são pequenas, de recém-nascidas até no máximo quatro dias de idade (medindo até cerca de 5 mm de comprimento), dependendo da espécie. Nesta idade o pH intestinal do inseto é básico, situação que favorece a ação das proteínas Bt. O posicionamento deste produto biológico no campo é essencial para causar a mortalidade desejada e é dependente da região e do início de ataque da lagarta-do-cartucho.

 

“O produto deve ser aplicado, quando possível, após as 16 horas, por causa da incidência dos raios ultravioletas, que são os principais agentes que desativam as partículas desse biopesticida no campo. Essa aplicação deve ser adequada para a necessidade da cultura, com o tamanho e toda a logística da propriedade. O outro motivo é que a lagarta-do-cartucho possui hábito noturno e inicia sua alimentação no começo da noite. Se a pulverização for feita à tarde, haverá uma menor exposição do bioproduto porque não há radiação ultravioleta, e haverá o consumo do Bt que foi pulverizado sobre as folhas”, orienta o cientista da Embrapa.

 

Produção sustentável de alimentos

 

Na solenidade do lançamento do bioinseticida Acera, o chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Milho e Sorgo, Lauro José Moreira Guimarães, representou o chefe-geral Frederico Ozanan Machado Durães. “Estamos completando 45 anos de implantação da Embrapa Milho e Sorgo, e nada melhor para comemorar do que o lançamento de um bioinsumo, que, temos certeza, contribuirá muito para a produção sustentável de grãos no Brasil”.

 

Segundo Guimarães, o Programa Nacional de Bioinsumos, lançado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em 2020, é um movimento que reforça a importância do crescimento da produção nacional de modo sustentável. “Teremos muitos desafios pela frente, para atender à crescente demanda mundial por alimentos, fibras e energia. E é com pesquisa, empreendedorismo e aplicação de tecnologias sustentáveis que faremos as entregas que o Brasil e o mundo esperam”, disse.

 

O diretor comercial da Ballagro, Arnelo Nedel, enfatizou a importância da inovação para se ter uma agricultura cada vez mais eficiente e sustentável. Ele ressaltou a importância da Embrapa na construção do que é a agricultura brasileira no momento, e o potencial da Embrapa quando se fala de inovação. “A Ballagro sempre investiu e continuará investindo muito em inovação e por isso estamos ao lado da Embrapa, que há mais de 40 anos é responsável pelos maiores avanços e inovações da agricultura brasileira”, pontuou Nedel.

 

O gerente de Desenvolvimento e Mercado da Ballagro, Felipe Biazola de Grande, destacou o grande diferencial do Acera. “A mistura inovadora de duas cepas de Bacillus thuringiensis (Bt), em total compatibilidade, que se complementam, expressando uma grande variedade de proteínas inseticidas, aumenta o espectro de ação e os sítios de atuação nos insetos. Desta forma, temos uma excelente ferramenta para o manejo integrado de pragas, com um modo de ação diferente da maioria dos inseticidas químicos disponíveis no mercado, que pode ser utilizada no manejo de resistência dos insetos, com grande eficácia sobre o complexo de lagartas, principalmente a Spodoptera”, disse de Grande.

 

Na oportunidade, os gestores da Ballagro parabenizaram a Embrapa Milho e Sorgo pela comemoração do aniversário. Já Lauro Guimarães cumprimentou a Ballagro pelos 17 anos de mercado e por disponibilizar diversos produtos para controle biológico de pragas agrícolas. “A experiência de mercado da Ballagro, juntamente com a inovação gerada pela pesquisa da Embrapa, é sem dúvida receita para o sucesso, por atender as necessidades do produtor rural, de forma sustentável, amigável ao meio ambiente, aos trabalhadores e aos consumidores.

 

Para assistir ao vídeo da live de lançamento do Acera, disponível no Canal YouTube da Embrapa, clique aqui.