Sistema Plantio Direto é pauta nacional

Redação FEBRAPDP 17/07/2019
Diretor-presidente da FEBRAPDP, Jônadan Ma, com integrantes da diretoria da FEBRAPDP em reunião com o Secretário Executivo do Mapa, Marcos Montes, e equipe técnica do Mapa.

O objetivo é bem claro e direto: desenvolver estratégias para expansão da agricultura sustentável nos biomas Cerrado, Pampa, Mata Atlântica e Amazônia. É isso que o projeto Sistema Plantio Direto: base para Agricultura Sustentável traz em seu bojo. Iniciativa pioneira, o projeto é norteado pela criação de uma base de dados para fornecer informações quantificáveis sobre os vários benefícios do Sistema Plantio Direto (SPD). Sua concepção nasce e está fundamentada na estruturação e interação entre componentes já existentes e que visam dar o suporte para o entendimento dos diferentes cenários.

O projeto está dividido em três módulos: o primeiro diz respeito à capacidade de recuperação da matéria orgânica do solo e serviços ecossistêmicos, devido ao SPD em Biomas Brasileiros; o segundo, ao Índice de Qualidade Participativo do SPD (IQP), e o terceiro trata dos indicadores de qualidade do solo em SPD. Cada um dos módulos possui metas específicas que no cômputo final dialogarão entre si. Veja essas metas na tabelas mais abaixo.

Mas exatamente para que servem e o que fazer com essas informações? De acordo com João Carlos de Moraes Sá, coordenador geral do projeto, presidente da comissão técnico-cientifica da Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação – FEBRAPDP e professor sênior da Universidade Estadual de Ponta Grossa, “Esse projeto visa dar suporte para políticas públicas que já estão sendo implementadas, como por exemplo, o Plano ABC e o pagamento por serviços ambientais tendo como base a premissa de que podemos produzir mais com menos e dobrar a produção sem derrubar, sequer, um único pé de árvore”, explica Juca, apelido pelo qual o coordenador é conhecido no setor.

Ainda segundo ele, o projeto deverá cumprir a sua missão em três anos. Neste momento, porém, sua elaboração já está concluída e a meta agora é a captação de recursos para que, até o final deste ano ou início de 2020, o projeto comece a ser colocado em prática. Com esse objetivo, ao longo da última semana, uma comitiva da FEBRAPDP cumpriu extensa agenda de reuniões e encontros com instituições públicas, empresas e parlamentares para apresentar o projeto e levantar apoios estratégicos.

Liderada pelo próprio diretor-presidente da federação, Jônadan Ma, e o coordenador Juca, a comitiva era formada por integrantes da FEBRAPDP: Marie Bartz, diretora-secretária, pesquisadora e professora da Universidade Positivo; Ricardo Ralisch diretor-secretário e professor da Universidade Estadual de Londrina; Maurício Oliveira, conselheiro e chefe de divisão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, e Luciana Bittencourt, coordenadora de marketing.

Alavancagem

A agenda em busca de apoio começou no Banco Mundial, onde a comitiva foi recebida pela economista agrícola, Bárbara Farinelli, que apresentou a atuação, forma de trabalho e parcerias da instituição internacional no Brasil. Na reunião, foi tratado como o projeto da FEBRAPDP pode estar articulado com outras iniciativas para fazer parte da política agrícola nacional junto ao Mapa, Ministério do Meio Ambiente e Senar Nacional. Após reunião com Farinelli, o projeto foi apresentado ao pesquisador da Embrapa Cerrados, Luiz Adriano Cordeiro, que também demonstrou apoio a essa importante iniciativa da FEBRAPDP.

Em meio a importante votação da reforma da Previdência, a deputada federal Aline Sleutjes (PSL/PR) recebeu a comitiva da FEBRAPDP e demonstrou satisfação em conhecer a Federação e seu importante trabalho pela agricultura sustentável, que está em consonância com as atuais estratégias do governo em desenvolver ainda mais as práticas conservacionistas no campo. A deputada recebeu das mãos de Jônadan Ma a apresentação do projeto.

O deputado Alceu Moreira (MDB/RS), presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), recebeu a comitiva em seu gabinete e ressaltou que o projeto tem grande relevância para comprovar a harmonia que existe entre agricultura e o meio ambiente no Brasil e assim fortalecer a imagem internacional do setor. Moreira sinalizou que cooperativas teriam interesse em apoiar a iniciativa. O deputado também indicou o Ministério do Meio Ambiente para participar da iniciativa e articulará a reunião da FEBRAPDP com o ministro Ricardo Salles.

Nos gabinetes dos deputados Afonso Hamm e Arnaldo Jardim, a comitiva da FEBRAPDP também conversou sobre o projeto com os assessores para pedir apoio institucional aos parlamentares. Já na FAO, a reunião foi com o consultor Fernando Rati, que apresentou as iniciativas da instituição na América Latina, e sinalizou o quanto o projeto tem a agregar para Brasil uma vez que atende a maioria dos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU (ODS). Rati encaminhará o projeto para Rafael Zavala, representante da FAO no Brasil que estava impossibilitado de receber a comitiva.

No escritório da GS1 Brasil em Brasília, a comitiva foi recebida por Eliane Araújo (assessora de relações institucionais), Paulo Aparecido Crapina (diretor de relações institucionais), e Herbert Kanashiro (executivo de sustentabilidade). Após apresentação sobre atuação da GS1, Kanashiro apresentou o projeto Legado que é uma iniciativa pioneira da associação relacionada à sustentabilidade na Mata Atlântica. Após apresentação do projeto da FEBRAPDP por Jônadan Ma e João Carlos de Moraes Sá, as duas instituições viabilizaram o formato de parceria para rastreabilidade das amostras produzidas durantes os três anos do Sistema Plantio Direto: base para Agricultura Sustentável.

André Sanches, chefe de gabinete da Secretaria Executiva do Senar Nacional, e Gustavo Goretti, assessor técnico da CNA, receberam a equipe da FEBRAPDP na CNA e convidaram a Federação para participar do Conselho do Agro na CNA. Dessa forma, o projeto sobre o Sistema Plantio Direto poderá ser apresentado às instituições que integram o conselho e aumentar a quantidade de parceiros.

A agenda foi encerrada no Mapa, em uma reunião com: o secretário executivo e ministro interino na ocasião, Marcos Montes; coordenador-geral, Márcio Antônio Mazzaro; diretor de programa da Secretaria-Executiva, José Eustáquio; secretário de Inovação e Desenvolvimento Rural, Fernando Camargo; diretora, Mariane Crespolini; coordenadora, Kátia Marzall. Durante a reunião, Ma explicou a boa recepção do projeto nas instituições anteriores, Sá e Marie apresentaram os resultados que teriam ao final do projeto e como essa iniciativa contribuirá para apoiar a política agrícola nacional. O Secretário de Inovação dará encaminhamento interno e outras reuniões entre as duas equipes técnicas serão agendas para viabilizar o “Sistema Plantio Direto: base para Agricultura Sustentável”.

Dia Nacional do Plantio Direto

O Projeto de Lei 3908/2015, de autoria do deputado Afonso Hamm (PP/RS), propõe a instituição do Dia Nacional do Plantio Direto. A data proposta para celebrar o plantio direto é 23 de outubro em menção a primeira vez que o agricultor Herbert Bartz fez o plantio direto em sua propriedade em 1972. Nesse momento, o relator do PL na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania é o deputado Pedro Westphalen. A comissão da FEBRAPDP visitou ambos os gabinetes e foi informada pelo assessor do relator, Felipe Dutra, que em breve o projeto iria para o Senado e enfim seria instituída a lei para iniciar às festividades em celebração ao plantio direto no Brasil.

Cláudio Catarina, chefe de gabinete do Senador Luis Carlos Heinze, recebeu os diretores da FEBRAPDP e manifestou apoio ao projeto sobre SPD e ao Projeto de Lei, que logo entraria no Senado para aprovação.